Sejam bem vindos!


Aqui você encontrara para ler as minhas escrituras e de algumas outras autorias.
Eu sempre amei escrever, por qualquer motivo, de qualquer coisa, e a qualquer hora.
Isso me faz bem, me alivia a alma.


"Eu escrevo como se fosse para salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida." (Clarice Lispector)


ESPERO QUE GOSTEM! \o/

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Se não vai, não desvie a minha estrela. ♪

Sei que não sou muito boa com palavras, sobretudo pessoalmente. Sou muito introvertida e costumo guardar minhas dores, meus sentimentos, minhas fantasias, minha raiva, meus problemas, tudo. Te conheci de supetão, nunca na minha vida me imaginei ao seu lado. Mas agora, é o que eu mais quero, o que eu mais desejo, o que eu espero todos os dias, no que eu sonho e acordo pensando, é pra você que rezo antes de dormir. É pra gente! Fui tudo tão rápido, mas vivi tão intensamente, fui outra, que ainda não conhecia. Mas do mesmo jeito rápido que você apareceu, se foi também. E fiquei aqui com aquela vontade de ‘quero mais’. Toda vez que viajo em meus pensamentos, é em você que fico pensando, é nos seus abraços apertados que estralavam minhas costas, é nas suas piadas que não tinham graça nenhuma e mesmo assim me faziam chorar de rir, e nas suas broncas e puxões de orelha que me faziam tão bem, é no seu bom humor que me alegrava quando estávamos juntos.

Você só me fez mudar,
mas depois mudou de mim.
Você quer me biografar,
mas não quer saber do fim.

Com você não tinha tempo ruim, não existia briga que durasse mais que 5 minutos... Quando estive com você, eu tive tudo. Em pensar que tive a coragem de olhar em seus olhos e dizer que não queria mais, implorar pra você me esquecer, e ficar assim agora. Deprimente. Te encontrar na rua e rir pra você como se fosse só meu amigo de novo, é quase impossível. Evitar você é a única coisa que posso fazer para amenizar a dor, essa maldita dor, que ninguém sabe que estou sentindo, só eu. Esses dias que passou por mim, não tive reação, fiquei paralisada igual uma idiota, te falei o ‘oi’ mais forçado do mundo e dei o sorriso mais xôxo e sem graça da minha vida. Quando me perguntou se eu sentia sua falta, minha vontade era gritar “CLARO QUE EU SINTO, VEM COMIGO, VEM PRA MIM, VEM SER MEU” mais não disse, ficou aqui dentro engasgado, só sorri e disse “pare de ser bobo”, quando a boba, era eu.
Quantas vezes peguei meu celular tremendo pra te ligar, e faltou coragem. Quantas vezes tive oportunidade, mas não falei o que sentia. Você é tudo o que eu queria, foi feito pra mim até nos defeitos, me completa de um jeito que ninguém nunca completou... Eu só precisava que você aceitasse ser a minha outra metade.

Vai sem duvidar,
mas se ainda faz sentido, vem.
Até se for bem no final,
será mais lindo...

2 comentários:

  1. Temos uma Artista na Familia, legal seu blog! Continue postando q esse negocio vai longe...

    ResponderExcluir